Lira

Tem certas coisas na vida que, de tão repetidas, o corpo acaba se acostumando com a dor e aceitando-a. É o caso da lira. Na minha primeira aula de circo, subi na lira e senti minhas mãos machucando. Conforme ia aprendendo uma posição nova, alguma parte do meu corpo ficava roxa ou machucada - e eu já mostrei isso. Acordava com dores no corpo, sem conseguir andar direito ou segurar as coisas decentemente. Hoje, eu subo na lira, faço as mesmas posições que antes doíam e não sinto mais toda essa dor. As vezes dá uns pequenos roxos porque é pancada, claro, mas não se compara com as dores das primeiras vezes. E acordo, as vezes, com pequenos incômodos, mas que nada se comparam aos iniciais. E não dói não porque eu aprendi a lidar "mais" com a lira, mas sim porque calejou. Sim, porque minha mão tem marcas das dores que eu já senti, mas que hoje não machucam tanto quando faço o mesmo movimento que antes causara tanto desconforto. 
Tem certos momentos na vida que eu aprendi a enxergar com a perspectiva da lira. Houve certos momentos que eu sofri ao ponto de me marcar profundamente, mas capazes de cicatrizar também. Demorou, sim, mas calejou. Existiram dias que eu acordei e achei que não fosse aguentar viver o dia de tanta dor que eu sentia.  Dias esses que sair da cama era um sacrifício, que me mexer doía e que só respirava aliviada quando retornava para a minha cama para descansar, horas mais tardes. Mas a gente aprende a lidar com esses dias, com essas dores, com esses sofrimentos. Não porque sabemos lidar bem, mas porque tem coisas e momentos que marcam tanto a gente que quaisquer outros momentos e outras histórias, para nos marcarem com tamanha dor de novo, é necessário perfurar todo o calo para chegar lá no fundo que outrem ou outra situação machucou inicialmente. A maioria das dores são superficiais, depois de determinado momento da vida. E elas vão ajudando a aumentar o tamanho do calo. A gente até que se permite machucar profundamente de novo, na ânsia de aprender e viver coisas novas, e as vezes até consegue, sim. Mas os calos estarão sempre lá para nos mostrarem que tudo bem, é passado, é superação, mas aconteceu e faz parte da sua história. E você sofreu por tudo isso. Mas, principalmente, você superou tudo isso.
Hoje, quem me vê na lira toda "graciosa" (jamais achei que fosse usar essa palavra para me definir um dia haha) não imagina a dor que houve por trás disso. E a dor que há até hoje, a cada pancada contra o ferro, a cada arrastada de pé na corda que sustenta a lira e sai um pedaço da pele, a cada vez que seguro nela e aperto mais os calos. Menores, sim, porém existentes. Enfim, ninguém sabe o quanto dói, ninguém sabe o quanto eu passei para está lá, com um sorriso no rosto e realmente gostando de estar ali, porque sim, tem como ser feliz mesmo com tantos roxos e pancadas. Não se pode deixar de viver, de aproveitar, de insistir em avançar essas situações ruins (sejam elas iniciais ou não), mesmo que, no fundo, a frase que resuma perfeitamente tudo, brilhantemente cantada pelo meu poeta favorito, seja: "Mas pra quem sabe olhar, a flor também é ferida aberta e não se vê chorar". A questão principal disso tudo é: há machucados, há cicatrizes, há calos e, as vezes, feridas abertas. Mas também há superação, há vivência, há amadurecimento. Só não há choro -eternamente, digo- nem acovardamento. Jamais.

(apresentação para crianças carentes em comemoração ao dia do circo ♥)

30 comentários:

  1. Eu fico incondicionalmente feliz quando vejo você escrever com tanta sinceridade uma coisa dessas. Calejou, é isso. Acho que essa relação do circo com a vida é demais mesmo e dá uma vontade enorme de fazer só pra me libertar do peso da dor das coisas. Fico feliz que tenha calejado e você tenha superado tudo que te causou uma dor absurda. Você se tornou uma mulher forte pra caralho e eu tenho muito orgulho de você <3

    ResponderExcluir
  2. CA.RA.LHO. Essa virada MORTAL que vc dá no final?Me cago só de olhar pra lira do pilates, imagina fazer essas acrobacias. N dá. Ainda serei saudavel, sarada, etc, mas por enquanto ainda sou o que sempre fui: a gordinha medrosa :~
    Adorei seu texto, muito positivo, muito esclarecedor. Você tem força e garra, um exemplo pra muitas meninas =) Um beijo!

    Eu.Nomadiando

    ResponderExcluir
  3. amei ver a apresentação, acho as artes circense incriveis, tenho mt vontade de praticar!

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Que lindo esse texto, gostei do vídeo tbm.

    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. gostei imenso de ver a apresentação, fizeste um espetáculo incrível. muitos parabéns pelo belo trabalho :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  6. E nesse momento eu começo a me achar porque me chamo Gabriela Lira e você falou tão poeticamente do meu sobrenome hahaha (desculpa por me achar gente).Que texto lindo Isa, você soube expressar o que eu sinto muitas vezes, é incrível como as pessoas acham que estamos bem pelo simples fato de não conversarem conosco e não saberem que por detrás de uma pessoa sempre existe uma dor enorme, uma dor insuportável e sabe o que é bom? Que por mais que doa (e como dói) nada é absolutamente insustentável e absolutamente terrível para que não possamos nos recuperar. Sara, sara sim, o tempo é cruel e benévolo ao mesmo tempo.

    Ótima semana ^^

    ResponderExcluir
  7. Primeiramente quero lhe parabenizar pelo texto, o vídeo teve mais sentido ainda lendo o texto antes de assistir.
    E em segundo lugar parabéns pela apresentação, mandou muito bem, acho muito bela esse tipo de apresentação e admiro quem consegue executar os movimentos com tanta graça.

    Beijos Isa!

    ResponderExcluir
  8. Texto lindo!!
    Amei o seu blog
    Seguindo sua Fan Page,Lookbook e seu blog,se puder me segue?
    Meu instagran: @luanacarvalhoi, te retribuo lá!
    http://meuestiloe.blogspot.com.br/
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  9. As crianças ne gostaram da música do Frozen né? haha Linda a apresentação, é lindo essas coisas(deu branco no nome) que se pode fazer no circo, mas sei que por trás disso tem dor, tem tudo.. Que nem o Balé, tem todo um processo mais é algo que te dá prazer que te dá liberdade e como diz superar as coisas..

    Desculpa pela demora
    Beijinhos =*
    www.eraoutravez.com

    ResponderExcluir
  10. Ai que bacanaaaa! Tenho muita curiosidade, mas aqui perto não conheço nenhuma circo escola rs. Adorei ♥

    Blog | Facebook | Instagram | Sorteio | Te espero no meu cantinho!

    ResponderExcluir
  11. Que texto lindo, Isabella!
    Bom demais olhar pra trás e perceber que o esforço valeu a pena, né?
    Você foi lindíssima na apresentação, parabéns!

    Beijos!
    Heey, Maria! | Fanpage

    ResponderExcluir
  12. Lindo o texto, adorei :)
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  13. Ameei o texto e adorei a apresentação! Acho a arte circense maravilhosa!
    Um beijo <3

    Dicas para todas

    ResponderExcluir
  14. Arrasou, Isa! E não é só na lira, é a vida isso aí que você descreveu =)


    Beijinhos
    n. // Fashion Jacket
    www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
  15. Que texto maravilhoso, que comparação maravilhosa!
    E olhando você toda graciosa na lira parece a coisa mais fácil do mundo, é o que acontece na vida também. Aquele problema que de fora parece tão simples de ser resolvido, mas só quem vive sabe o quanto dói.
    “A questão principal disso tudo é: há machucados, há cicatrizes, há calos e, as vezes, feridas abertas. Mas também há superação, há vivência, há amadurecimento. Só não há choro -eternamente, digo- nem acovardamento. Jamais.”

    Parabéns!

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Você é a prova de que quando a gente quer tem que ir atrás mesmo, independente de quanto vai batalhar, ou até sentir dor (no seu caso).
    Acho que você arrasou. Parabéns!!

    Beijos!

    Blog Pam Lepletier / Nova Parceria do blog, vem ver

    ResponderExcluir
  17. Adoro ver suas apresentações, são tão lindas! A comparação que você fez entre a lira e a vida foi belíssima, amei o texto.
    Beijos

    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
  18. Isa do céu! que texto mais maravilhoso é esse mulher! amei demais!
    já falei né? que amo seus textos haha
    aaah e sua apresentação tb ficou linda (:

    www.blogamorarosa.com

    ResponderExcluir
  19. Fazia tempo que eu não lia textos autorais em blogs! Gosto de blogueiras que tiram um tempinho para desabafar! Amei <3
    Beijos
    www.joseanefarias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Caramba, super profundo o texto! Gostei da sua metáfora com a lira, e sim, a vida é dessas tem hora que a gente tem que se acostumar com as pancadas porque sim, elas fazem parte da vida e do aprendizado!
    Você ficou linda na apresentação!

    Beijão
    http://www.perigosasgarotas.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Que linda !!
    A Lira sempre me colocou muito medo hahahaha eu fiz algumas aulas de circo mas devido aos hematomas acabei desistindo hahaha adorei a música da apresentação também haha

    Beijos,

    rodoviadezenove.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Que incrível, Isabella, parabéns pela conquista. Por isso admiro esportes e outras atividades que envolvem um esforço físico que envolvem também um lado psicológico e superar nossas limitações em ambos lados nos faz sentir melhores conosco!!

    beijoo,
    Dressa
    Blog Dress

    ResponderExcluir
  23. Acho tão incrível você fazer isso, queria muito ver ao vivo!

    Beijos, Jell e Marcelo
    www.urbanoeretro.com.br
    youtube.com/blogurbanoeretro

    ResponderExcluir
  24. Isa, em primeiro lugar: que coisa mais linda você na lira. É tão mágico!!! E que linda essa sua analogia das dores da vida com as dores da lira. Post inspiradíssimo!

    ResponderExcluir
  25. BLOG PERFEITO ,AMEI TUUUUUUUUUDO
    SE PUDER OLHE O MEU ,E SE GOSTAR DE ALGO ,
    ✦ ✧COMENTA LÁ ! VLW !✦ ✧
    ~~~~ JÁ SEGUINDO ~~~~
    http://mestrelato.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. amei seu blog, já estou seguindo!
    beijos
    http://heyredlip.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Nossa, que texto lindo! Adorei o vídeo também!

    http://www.brazilianvogue.com.br/

    ResponderExcluir

Qualquer comentário é bem vindo, mas se for comentários de sdv, eles serão devidamente ignorados.
Beijos.